Jogadores que só conheceram um clube em toda a carreira (Parte 1)

Numa altura em que o dinheiro manda e dita as regras do mercado e faz movimentar o futebol, ainda existem histórias de paixão por um clube e de amor à camisola. Jogadores que dedicaram a sua carreira a só um clube, que são exemplos e que se tornaram autênticos símbolos não só do seu clube, como do futebol mundial.

Jamie Carragher

Nascido em 1978, este defesa central entrou para a formação do Liverpool em 89/90, tendo passado por todos os escalões de formação do clube e estreado-se pela equipa principal em 96/97 época em que realizou apenas 3 jogos.
A partir dessa época Carragher começou a fazer parte do plantel do Liverpool, e é na temporada de 1998/99 que agarra a titularidade para só a largar depois de 2012/13 ano em que se retira do futebol.
O jogador inglẽs foi ainda internacional por 38 vezes, e conta com 737 jogos e 4 golos apontados em 16 épocas ao serviço dos reds.

Lev Yashin

O histórico guarda-redes soviético, também foi fiel a um só clube, a “Aranha Negra”, foi o único guarda-redes da história a ser nomeado melhor do mundo, estreou-se pelo Dínamo de Moscovo em 1950 para só a largar 2 décadas depois em 1970, com 41 anos.
Disputou um total de 376 jogos pela equipa russa.

Paolo Maldini

Tido como um dos melhores defesas da história, o italiano realizou toda a carreira ao serviço do AC Milan.
Estreou-se em 1984/85 com 18 anos tendo realizado apenas 1 jogo. Com 19 anos (1985/86) assume a titularidade dos milanenses para só sair de lá quando se retira em 2008/09 com 41 anos. Um craque que conquistou tudo o que havia para conquistar, “Il Capitano” será para sempre um símbolo do Milan, onde realizou 902 jogos e marcou 33 golos.

TAMBÉM PODERÁS GOSTAR