Conceição arrasa técnico do P. Ferreira: “Não sou hipócrita nem falso”

Sérgio Conceição abordou uma vez mais a polémica que protagonizou com João Henriques, técnico do P. Ferreira. O técnico do FC Porto, recorde-se, criticou o seu homólogo pacense por ter promovido junto dos seus jogadores o antijogo, na partida do último fim de semana.

Posteriormente nas redes sociais, circularam vídeos de Conceição alegadamente a promover o antijogo que criticava, quando orientava a Académica, numa partida em Alvalade diante do Sporting. No entanto, o treinador portista refere que esses vídeos não correspondem à verdade.

“Meteram por aí uma conferência em que eu era treinador da Académica, em que fomos empatar a Alvalade. Na altura, o Leonardo Jardim era o treinador do Sporting.

O que foi metido cá para fora foi parte da conferência. O que se passou foi que a Académica defendeu muito bem e acabámos por levar um ponto de lá. Não houve, de maneira nenhuma, antijogo.

Uma coisa é antijogo, outra coisa é interpretar e cumprir a estratégia desenhada. Já falámos das equipas que já jogaram contra o FC Porto. Disse sempre que cada treinador tem a sua estratégia montada para cada jogo. Fui treinador da Académica, do Olhanense, do Vitória, do Braga, com muito orgulho.

Esse jogo em Alvalade está gravado. Contem os minutos jogados nesse jogo, contem também no Olhanense-Benfica. O que eu quis dizer foi que o Olhanense jogou com a equipa muito mais recuada. Não houve a palhaçada que houve em Paços de Ferreira. Vi meio mundo escandalizado por não cumprimentar o treinador do Paços.

Fiquei a perceber porque é que existem tantos adeptos do Paços de Ferreira. Não tenho nada contra o João Henriques. Vi-o foi a promover esse tipo de situações. O que percebi foi isso e não me senti com à vontade de o cumprimentar, não sou hipócrita, não sou falso.

O antijogo pode-se fazer. Então uma pessoa que tem dificuldades pode ir roubar. Entende-se que pode defender com a equipa baixa, queimar algum tempo, isso é normal, também as minhas equipas pequenas já fizeram isso. Porque é que desculpamos mais isso do que outro treinador não se sentir à vontade para cumprimentar o outro?“, afirmou.

Veja o vídeo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

TAMBÉM PODERÁS GOSTAR