FC Porto vence Tottenham e faz história na Youth League

O FC Porto apurou-se hoje pela primeira vez para as meias-finais da UEFA Youth League de futebol, após eliminar o Tottenham, em Londres, com autoritário 2-0 em exibição irrepreensível.

Os compactos sub-19 de João Brandão foram muito seguros a defender e pragmáticos e eficazes a chegar ao 2-0, sendo que se tivessem mantido essas qualidades ofensivas na etapa complementar o resultado poderia ser mais volumoso.

Agora, na ‘final four’, que vai decorrer de 20 a 23 de abril em Nyon, Suíça, os ‘dragões’ vão defrontar o vencedor do jogo que na quarta-feira opõe o Real Madrid ao Chelsea, que venceu duas das quatro edições até agora disputadas.

Os portistas são a única equipa lusa em prova, depois de o Benfica, duas vezes finalista, ter caído na fase de grupos e o Sporting ter sido afastado pelo campeão Salzburgo, que os azuis e brancos eliminaram na ronda anterior.

Com os quartos de final a disputar-se em jogo único, sobrepôs-se o poder do coletivo e melhor capacidade lusa de gerir a bola e os ritmos de jogo, perante um adversário possante fisicamente, mas sem a mesma criatividade.

O médio Oliver Skipp, do Tottenham, esteve nos dois golos dos ‘dragões’, primeiro a desviar para a baliza o cabeceamento do central Diogo Leite (30 minutos) e depois ao perder a bola na defesa, que permitiu o contra-ataque com golo de Irala (40).

Com sistemas táticos a privilegiar o rigor defensivo, as oportunidades não abundaram, surgindo apenas de remates à entrada da área: o de Maghoma (16), prensado, saiu perto do ângulo, e a resposta de Diogo Bessa forçou Eyoma a ceder canto.

Foi precisamente de canto que os ‘dragões’ chegaram ao golo, com Diogo Leite a ganhar de cabeça e Oliver Skipp, infeliz, a alterar a trajetória, enganando toda a gente (0-1).

Dez minutos depois, Skipp tem um mau início de construção e passa a bola a Madi Queta, que desmarcou logo Santiago Irala que, isolado, fez o 2-0.

Na etapa complementar tempo o Tottenham prescindiu de um defesa para reforçar o ataque, mas nem por isso dominou, com os portugueses sempre a tratar a bola melhor e a disporem mesmo das melhores situações de perigo.

Jogando em pressão alta, o FC Porto não deixou o adversário aproximar-se muitas vezes da baliza, sendo que as reais oportunidades dos britânicos contaram com a ‘ajuda’ do guarda-redes Diogo Costa, que, em lances seguidos, cometeu dois deslizes comprometedores, o segundo dos quais valendo-lhe um colega a salvar sobre a linha de golo.

Jogo no Tottenham Training Centre, em Enfield.

Tottenham–FC Porto, 0-2.

Ao intervalo: 0-2

Marcadores:

0-1, Oliver Skipp, 30 minutos (própria baliza).

0-2, Santiago Irala, 40.

Equipas:

– Tottenham: Brandon Austin, Tariq Hinds, Tanganga (Duncan, 46), Eyoma, Jamie Reynolds (Brown, 68), George Marsh, Oliver Skipp, Samul Shashoua, Griffiths, Bennetts e Maghoma (Patterson, 46).

(Suplentes: Jonathan De Bie, Brown, Dinzeyi, Lyons-Foster, Patterson, Duncan e Bowden).

Treinador: John McDermott.

– FC Porto: Diogo Costa, Diogo Queirós, Pedro Justiniano, Diogo Leite, Diogo Bessa, Paulo Estrela, Rui Pires (João Lameira, 90+1), Romário Baró (Afonso Sousa, 82), Musa, Madi Queta e Santiago Irala (Juior Maleck, 76).

(Suplentes: Ricardo Silva, Fidelis, João Lameira, João Mário, Lopes, Afonso Sousa, Junior Maleck).

Treinador: João Brandão.

Árbitro: Georgi Kabakov (Bulgaria).

Ação disciplinar: cartão amarelo a Madi Queta (34), Tariq Hinds (47), Diogo Bessa (63), George Marsh (67 e 90+5) e Timothy Eyoma (87). Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para George Marsh (90+5).

Assistência: cerca de 1.000 espetadores.

Fonte: LUSA

Veja os vídeos dos golos abaixo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *