Palavras de Luís Castro sobre o estado do futebol português para refletir

Aproveitando a maior exposição mediática devido à partida com o Sporting, Luís Castro, treinador do Chaves, fez uma importante análise ao estado atual do futebol português.

O técnico flaviense pede uma maior reflexão da estrutura que rege o futebol português, por forma a reduzir a clivagem entre os três grandes e as equipas ditas pequenas, para assim tornar o campeonato mais competitivo.

Entre o terceiro e o sexto lugar há uma diferença de 23 pontos. Quando se pensa que o terceiro vai jogar ao terreno do sexto pensa-se num jogo equilibrado, com muitas hipóteses de o sexto ganhar, mas convém lembrar a diferença pontual. Do terceiro para o quinto são 22 pontos. Há uma clivagem e uma bipolarização do campeonato, motivada por um conjunto de fatores que seria bom o futebol português analisar.

O quinto classificado em golos marcados e sofridos tem índice negativo. Daí para baixo todos negativos. Não se passa em mais nenhuma Liga europeia. Até na Arábia Saudita têm melhor. Chegamos a isto.

Há clubes na Liga que não têm condições para trabalhar no dia a dia, em termos de infraestruturas. Não podemos tentar maquilhar o futebol português, temos de o pensar. Mas de forma profunda e em que o único interesse seja desenvolver o futebol.

Ontem fui ver as notícias nos jornais sobre o Chaves. Eram seis linhas. E depois querem que sejamos heróis por um dia. Querem que encontremos estratégias mirabolantes para parar esta diferença. As mesmas pessoas que querem que paremos esta diferença, são as mesmas que nos deitam ao abandono durante meses.

O mundo está muito hipócrita. É preciso dar um passo de gigante rumo à verdade. Não digo igualdade, porque há equipas num patamar acima devido à base social. Sabemos disso. Vamos tomar isso como verdade e vamos olhar de forma diferente”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

TAMBÉM PODERÁS GOSTAR